Miguel Calmon Bahia

Miguel Calmon é um município brasileiro do estado da Bahia.

Sua população estimada em 2004 era de 30.295 habitantes.

Localizado na região da chapada-norte baiana, era habitada por tribos indígenas, principalmente a dos "paiaiás". Entre o fim do século XVIII e começo do século XIX, foi habitado pelas famílias Valois Coutinho e Marcelino de Miranda, sendo conhecida então como Fazenda Canabrava, devido as boas plantações de cana. Pertencia na época à cidade de Jacobina, até virar povoado e ser emancipada no dia 6 de agosto de 1924, tendo como primeiro prefeito o sr. Isaías Lopes.

Assim como todo território brasileiro, que tem como seus habitantes primitivos os índios, a atual Miguel Calmon, que não seria uma exceção à história, foi povoada pelos índios Payayazes, grupo dos Cariris. Esses habitavam todo território do Nordeste do Brasil, destacando-se nos atuais estados do Ceará, Paraíba, Pernambuco, Alagoas, Sergipe e Bahia.

Viviam os payayazes na região entre Jacobina e o Vale do Paraguaçu ocupando um belo pedaço da Bahia, espalhando-se pelas regiões centro e nordeste que, inóspitas e selvagens, lhes serviam de morada, tendo como meio de subsistência os animais, peixes e aves da região.

Os Payayazes (provavelmente) formavam uma tribo pacífica, tendo participação junto aos padres Franciscanos na construção da igreja da Missão, em Jacobina, por volta de 1706.

Outra demonstração de sua índole pacífica foi o episódio do nascimento de Robério Dias, filho de Belchior Moreira com a índia Lourença, como testifica Jubilino Gunegundes.

Presume-se que os primeiros homens brancos que tiveram contato com esses índios foram João Coelho de Souza e sua tropa entre 1579 e 1600. Dizendo-se bandeirante, atravessou as matas existentes na região em busca de ouro e prata e as tão cobiçadas pedras verdes. Depois vieram Belchior Dias Moreira, neto de Caramuru e primo de Gabriel Soares de Souza, Robério Dias, Martim Sá e Fernão Gil.

Fonte.wikipedia.com
Fotos.panoramio.com

Comentários